Em vida

Em vida
NO FINAL TUDO DÁ CERTO

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

6 ERROS QUE VOCÊ (NÃO SABE QUE) ESTÁ COMETENDO COM SEU DINHEIRO

6 ERROS QUE VOCÊ (NÃO SABE QUE) ESTÁ COMETENDO COM SEU DINHEIRO E COMO SOLUCIONÁ-LOS

Por mais que você se interesse por educação financeira, pesquise sobre os melhores investimentos e alternativas para gerar renda extra, garanto que você comete pelo menos um dos erros listados abaixo quando o assunto é dinheiro.
Talvez essas falhas sejam cometidas por falta de atenção nessas questões ou porque você nunca parou para pensar sobre estes itens.
Neste artigo, além de alertá-lo sobre os 6 erros, eu lhe apresentarei as soluções para esses problemas.
Veja abaixo os 6 erros que você (não sabe que) está cometendo com dinheiro e suas soluções.

Erro #1 – Confiar em seu gerente de banco para lhe indicar investimentos

gerente de banco
Pode parecer uma ideia óbvia, afinal o gerente de banco deveria ser um profissional treinado para retirar suas dúvidas e lhe oferecer os melhores produtos financeiros. Porém, não é isso que acontece.
A verdade é que os gerentes são profissionais pagos pelos bancos para atender os interesses dessas instituições, com metas e premiações para atingir os objetivos mais lucrativos para essas empresas.
Prova disso é o fato comum dos gerentes oferecerem títulos de capitalização para seus clientes quando poderiam oferecer produtos muito mais rentáveis.
Os títulos de capitalização não podem nem ser chamados de investimentos, pois apresentam rendimentos ínfimos, muita vezes não possibilitam o resgate de tudo que foi investido e apresentam como único ponto positivo a pequena probabilidade de ganhar sorteios.
Não culpe seu gerente por esse comportamento, ele precisa cumprir metas, afinal quem paga o salário dele é o banco.
A solução para este caso é sempre fazer uma análise criteriosa antes de tomar qualquer decisão financeira, ciente de que o conselho do seu gerente pode não ser a melhor opção para o seu bolso (frequentemente não é). Quando se trata de dinheiro, não existe pessoa certa para te aconselhar, o melhor a fazer é estudar e ser capaz de decidir por si mesmo.

Erro #2 – Manter dinheiro investido tendo dívidas

Muita gente adota este tipo de comportamento justificando que dessa maneira adquiri a disciplina necessária para começar a investir.
Se o seu problema for falta de disciplina, talvez até valha a pena. Entretanto, se o que te aflige é falta de dinheiro, saiba que esta conduta é tremendamente destrutiva.
Basta analisar que as dívidas apresentam juros bem maiores do que as opções de investimento encontradas. Veja a tabela abaixo com valores retirados de grandes bancos e fundos conhecidos:
Dívidas:Juros mensais:Investimentos:Juros mensais:
Empréstimo consignado
2%
Poupança
0,50%
Empréstimo pessoal
6,86%
LCI e LCA
0,65%
Cheque especial
5,41% a 9,31%
Fundos Imobiliários
0,16% a 2,43%
Cartão de crédito
7,15% a 16,56%
Ibovespa (Novembro)
-3,27%
(média de valores encontrados no mercado)
Observe que se o seu dinheiro estiver na poupança (menor juros entre os investimentos) e suas dívidas forem oriundas do cartão de crédito (maior juros entre as dívidas), a diferença da taxa de juros pode chegar a 16% ao mês. Com o passar do tempo, sua dívida tende a aumentar de maneira rápida enquanto seu capital investindo cresce a passos lentos.
A solução para este erro é pegar o montante que está investido e usá-lo para amortizar a dívida, pagando o que for possível, deixando apenas uma pequena reserva financeira para emergências.
Caso sua dívida seja no cartão de crédito ou cheque especial, troque por uma modalidade com juros menores, como o empréstimo consignado por exemplo. Após ter o dinheiro em mãos, negocie com os credores, eles são os principais interessados em ver sua dívida quitada e para isso podem facilitar o pagamento ou diminuir o valor a ser cobrado.
Quanto ao cartão de crédito e cheque especial, se você não sabe usá-los de maneira que te proporcionem facilidades, melhor não possuí-los.

Erro #3 – Pagar mensalidade ou anuidade de cartão de crédito

cartão de crédito
Pagar mensalidade ou anuidade no cartão de crédito é perda de dinheiro. As empresas de cartões já ganham muito apenas com as compra que você realiza em estabelecimentos comerciais (em torno de 5% do valor da compra é repassado para estas empresas).
Para não pagar fatura no cartão existem algumas opções:
– ligue para a empresa do cartão e negocie a retirada da anuidade/mensalidade;
– faça uso constante do cartão, apresente um bom consumo e peça a retirada das taxas; ou
– ameace cancelar o cartão caso as taxas não sejam retiradas.
Normalmente as empresas preferem conceder um período livre de taxas para seus clientes ao invés de perdê-los. No meu caso, que uso o cartão para pagar praticamente tudo, sempre tive facilidade em retirar a anuidade do cartão.
Para quem não tem disciplina o cartão pode se tornar uma arma de destruição de patrimônio, já para os disciplinados, o cartão de crédito pode ser de grande valia.
Veja como eu utilizo meu cartão: uso a função crédito em todas as oportunidades onde não vou obter descontos ao pagar em dinheiro; meu consumo se transforma em pontos no programa de fidelidade do cartão (viajei com minha noiva para a Buenos Aires trocando os pontos por milhas aéreas) e ainda consigo colocar meu dinheiro para render durante um mês antes de pagar a fatura do cartão.
Cabe ressaltar que sempre pago a fatura como um todo, com isso nunca tive problemas de endividamento pagando juros.

Erro #4 – Comprar à vista sem pedir desconto

desconto pagamento a vista
 Sempre que for comprar algo e tiver condições de pagar com dinheiro e à vista, peça desconto. Como mostrado no item acima, quando pagamos no crédito o comerciante repassa 5% do valor da venda para a empresa operadora do cartão.
Além disso, o dinheiro gerado pela operação só vai estar disponível para saque após 30 dias. Portanto, é sempre melhor para o comerciante quando você paga em dinheiro.
Não tenha vergonha de pedir desconto, se você não perguntar pode ter certeza que ninguém irá oferecer. Peça no mínimo 10% de desconto, caso o item seja muito caro você deve pedir mais. Lembre-se que se tudo der errado e você não receber desconto algum, é melhor pagar no crédito.

Erro #5 – Deixar dinheiro na poupança por longos períodos como investimento

poupança
Deixar dinheiro na poupança por muito tempo não é uma decisão inteligente.
A poupança é a aplicação preferida do brasileiro, é segura, acessível a todos e não sofre tributação. Só que a poupança tem um problema, seu rendimento é tão baixo que por vezes não consegue ganhar da inflação. Com isso, ao invés de ganhar dinheiro, você na verdade está apenas mantendo o poder de compra do seu capital ou ficando próximo disso.
Alguns devem estar lendo este texto e pensando “ok, a poupança apenas empata com a inflação, mas se eu for pra renda fixa e precisar tirar o dinheiro, vou ter de pagar imposto de renda sobre o lucro, e com isso ganhar até menos que na poupança.”
Concordo plenamente, o efeito do imposto de renda (que começa em 22,5% do lucro) torna a renda fixa menos atraente que a poupança para aplicações de curto prazo.
A solução para este problema é achar um investimento seguro, que apresente bom rendimento, possibilite o resgate do dinheiro de forma rápida e seja isento de imposto de renda.
Está achando bom demais pra ser verdade?

Investindo em LCI e LCA

As Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) são garantidas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), possuem rendimento atrelado à taxa Selic (atualmente em 10% ao ano), possibilitam resgates em curto prazo (dependendo do banco até mensais) e são isentas de imposto de renda para pessoas físicas.
Por essas características, acredito que sejam os melhores investimentos do mercado para quem quer segurança.
Se você comete o erro de deixar capital na poupança por longos períodos, procure se informar sobre alternativas mais rentáveis, LCI e LCA são algumas das opções existentes. No meu caso, quando não tenho planos de empregar o dinheiro que está na poupança dentro de 3 meses, já procuro investi-lo em uma dessas alternativas.

Erro #6 – Elevar seu padrão de vida automaticamente à medida que seus ganhos aumentam

padrão de vida
As pessoas tendem a aumentar seus gastos sempre que sua renda aumenta. De maneira quase automática, conforme ganhamos mais gastamos mais. Veja o exemplo abaixo e pense na resposta para a pergunta que será apresentada:
João ganha um salário razoável, mora em uma casa pequena e tem um carro barato, a casa e o carro atendem plenamente as necessidades de João, que é jovem e solteiro. Após algum tempo, ele recebe uma promoção acompanhada de um bom aumento de salário.
Qual terá sido a primeira ideia que passou pela cabeça de João para empregar o dinheiro excedente?
Se você pensou em “trocar de carro” ou “mudar-se para uma casa maior”, respondeu igual à maioria dos brasileiros. É isso que normalmente fazemos quando começamos a ganhar mais.
No mundo de hoje, gastamos dinheiro que não temos, para comprar coisas que não precisamos, para impressionar pessoas que não conhecemos e parecer alguém que não somos”
 Evite elevar seus gastos sempre que seus ganhos aumentarem. Procure ter controle e não aderir à moda do consumismo desenfreado.
Use o dinheiro excedente para investir e aproveitar o efeito benéfico dos juros compostos. Seu objetivo deve ser depender cada vez menos do salário.
Coloque o dinheiro para trabalhar por você. Com juros compostos você só precisa de duas coisas para enriquecer: tempo e dinheiro. Quanto mais tiver de um menos precisa do outro.

Conclusão

Parabéns por ter chegado até aqui!Um artigo com 1850 palavras não é para qualquer um. Você realmente está comprometido com seu sucesso financeiro.
Recapitulando o que foi apresentado, os erros listados foram:
Erro #1 – Confiar em seu gerente de banco para lhe indicar investimentos
Erro #2 – Manter dinheiro investido tendo dívidas
Erro #3 – Pagar mensalidade ou anuidade de cartão de crédito
Erro #4 – Comprar a vista sem pedir desconto
Erro #5 – Deixar dinheiro na poupança por longos períodos como investimento
Erro #6 – Elevar seu padrão de vida automaticamente à medida que seus ganhos aumentam
Como visto no decorrer do artigo, os 6 erros que você estava cometendo com seu dinheiro, e muitas vezes nem se dava conta, são de fácil solução, exigindo apenas um pouco de atenção de nossa parte.
Com disciplina e planejamento é possível resolver cada um deles.
Comece a solucioná-los o quanto antes, não deixe para amanhã o que pode ser feito hoje.
Estude mais sobre investimentos para não ficar na mão de seu gerente de banco, pague suas dívidas, ligue para seu banco e negocie as taxas do cartão, sempre peça descontos (no começo você pode se sentir desconfortável, mas a prática leva a perfeição), aplique em algo mais rentável que a poupança e domine seus desejos consumistas.
Espero que este artigo tenha sido útil para você.
Gostou do artigo? Exponha sua opinião deixando um comentário abaixo.
Obrigado.

VÍDEO COMO INVESTIR COM POUCO DINHEIRO

VÍDEO




COMO LUCRAR FAZENDO AQUILO QUE VOCÊ AMA

VÍDEO